Fundamentos Teóricos

A Escola Doméstica de Natal e o Complexo Educacional Henrique Castriciano desenvolvem um processo educativo que contempla a formação integral do aluno e sua consciência ética, estética e cidadã. O trabalho pedagógico parte da compreensão de que o aluno é o sujeito do processo ensino aprendizagem e o professor é o facilitador/mediador. Assim, dentro das diversas áreas de conhecimento, são estruturadas situações e potencializadas as experiências vivenciadas pelos alunos, objetivando a construção de conhecimentos e saberes, que permitam a compreensão e transformação da sociedade atual.

As Escolas têm como fundamento teórico as Teorias Críticas da Educação, que tem um enfoque pluralista, pois adota procedimentos didático-pedagógicos de vários teóricos críticos como Piaget, Vygotsky, Wallon, Paulo Freire, Wallon, Freinet, Antoni Zabala, e Edgar Morin. A ideia do pluralismo pedagógico supera o dogmatismo e fechamento em uma só postura metodológica e os perigos do ecletismo inconsequente e vazio, pois encontra fundamentos e unidade na linha teórica básica – a Teoria Crítica, servindo de paradigma para escolhas na diversidade das ações pedagógicas.

Acreditamos que a aquisição do conhecimento é um processo de construção contínua do ser humano em sua relação com o meio. Organismo e meio exercem ação recíproca, em que o ser humano cresce num ambiente social e a interação com outras pessoas é fundamental para o seu desenvolvimento. Assim, sem contato humano não se consegue ser humano de fato; o homem só pode ser homem se viver em sociedade. Vygotsky (2009) afirma que ao mesmo tempo em que o ser humano transforma o seu meio para atender suas necessidades básicas, transforma-se a si mesmo.

Os seres humanos, como seres sociais, vivem em constante interação entre eles e com o meio, no qual se constituem como pessoas. Esse princípio do desenvolvimento humano foi estudado por vários autores (Piaget, Vygotsky, Wallon, Maturana, Wertsch, entre outros), que demonstraram, através de suas pesquisas, que tal princípio se baseia numa inter-relação entre o meio social e as bases biológicas. Segundo Vygotsky (1998), essa relação é dialética no sentido que o meio afeta o indivíduo, provocando mudanças que serão refletidas novamente no meio, recomeçando o ciclo num processo que se assemelha a uma espiral ascendente. Dentro dessa perspectiva, Vygotsky (entre outros autores como Perret-Clermont, Edgar Morin, Piaget, Garnier, Bednarz, Wertsch etc.) considera a aprendizagem como um processo social, no qual os sujeitos constroem seus conhecimentos através da sua interação com o meio e com os outros, numa inter-relação constante entre fatores internos e externos. Isso é destacado também por Garnier (1991), quando afirma que, embora a concepção de aprendizagem em educação a considere como um processo individual, não se pode negar seu caráter social ao se desenvolver dentro de processos grupais como a sala de aula, que, segundo Garnier, é “...um espaço social no qual as interações de todos os parceiros estão focalizadas sobre saberes de origem cultural".

Através de metodologias ativas e da aprendizagem significativa, o processo de ensino e aprendizagem tem um caráter dinâmico que exige ações de ensino direcionadas para que os alunos aprofundem e ampliem os significados elaborados/conceitos mediante sua participação ativa em todo o processo de construção do conhecimento.

Com esta compreensão, as habilidades e atitudes são necessárias para criação e formulação de conceitos, procedimentos e atitudes, numa perspectiva interdisciplinar e contextualizada.

As metodologias selecionadas para o desenvolvimento das nossas atuações pedagógicas objetivam desenvolver de forma coletiva o planejamento e metodologia de modo a atender as necessidades e interesses dos alunos das diferentes faixas etárias: crianças, adolescentes e jovens, para que construam seus conhecimentos, habilidades, competências, valores e saberes indispensáveis ao exercício pleno de sua cidadania, para que, de forma responsável e competente, contribuam para uma sociedade democrática e igualitária e, no plano individual, preparem-se para entrar de forma competitiva no mundo do trabalho.

Nessa conjuntura, compreender e transformar saberes científicos numa dimensão social, reflexiva, utilitária e construtiva, norteia o pensar dessas instituições educacionais. Assim sendo, as Escolas oferecem uma formação humana e aprendizagens do conhecimento científico, através de vivências pedagógicas integradas. As práticas em sala de aula são organizadas de modo a garantir aos alunos acesso aos saberes científicos, de forma interdisciplinar, evitando sua fragmentação ou hierarquização.

No sentido de efetivar essa prática, destacamos algumas estratégias pedagógicas, como: desenvolvimento de projetos, aulas híbridas, aulas inversas, utilização de temas geradores, aprendizagens por competências e habilidades, círculos de debates, seminários, estudos de casos e soluções de problemas, trabalhos em grupos, aulas de campo, aulas integradas com utilização de ferramentas computacionais ( digitais ), entre outros. Para auxiliar as aulas, as Escolas oferecem ambientes diversificados de aprendizagem como: AVA ( Ambiente Virtual de Aprendizagem ), Bibliotecas, Laboratórios de Física, Química, Biologia e Informática, Espaço Cultural Nísia Floresta, Escotismo, Trilha ecológica, Anfiteatro, Ginásios e Parques Desportivos, Centro de Convivência Clara Camarão, Centro de Convivência Nelson Mandela, entre outros espaços disponibilizados.

Dessa forma, os recursos pedagógicos, como tecnologias da informação e da comunicação, atividades culturais, artísticas, literárias, cívicas, desportivas dimensionam o processo de ensino para além do conhecimento científico. E, consequentemente, estão incorporados ao planejamento dos docentes, em todas as suas atividades realizadas com os estudantes.

Voltar

Redes Sociais

Escola Doméstica Avenida Hermes da Fonseca, 789. Tirol, 59015-001 - (84) 3215-2900

Henrique Castriciano Rua Prefeita Eliane Barros, 2000. Tirol, 59014-540 - (84) 3215-2916